terça-feira, 19 de maio de 2009

ANOS INCRÍVEIS

















Como todo mundo de minha geração, eu tb curto 80's e 90'. Uma ótima época em que o pessoal realmente era criativo, vai notar isso especialmente quem curtia os programas da TV! Hoje parece que tudo perdeu a graça, claro há excessões, ou alguém discorda que CSI é a melhor série dos anos 2000?

Realmente, precisava matar a saudade de ver a série "Anos Incríveis" (Não confunda com "Anos Dourados"). E comecei a baixar na net os episódios, pois havia me esquecido como aquilo tinha gosto de infância e não era tedioso! Era até muito filosófico pelas sábias frases do Kevin, que narrava a história! Mas eu, no auge de meus 6 anos me sentindo ainda 'O' radical ao pilotar minha bike sem ajuda das rodinhas laterais, mal tinha cérebro para enteder de fato oque aquele monte de palavras do Kevin representariam anos mais tarde...

"Naquela noite o mundo ficou grande de repente e eu me senti muito pequeno.”

A história é contada através do ponto de vista de Kevin, o caçula da família Arnold, da típica familia americana de classe média do fim dos anos 60, começo dos 70. Seu dia a dia e a eterna busca pela namorada são contados de uma forma cativante! Sendo um suburbio onde residem, seus vizinhos são presença constante, como seu melhor amigo Paul e a namorada de infância Winnie.

Os melhores momentos são quando Kevin reflete sobre os acontecimentos da infância e nos mostra algo simples que poucos param para notar, e está aí o charme da série: ver o que ninguém mais vê.

“Não foi assim que aconteceu, mas é assim que gosto de lembrar. Quando sonho e realidade se misturam é porque é exatamente assim que deve ser…”
As frases deste tampinha, metido a gente grande, acho que só perdem para as do Calvin & Haroldo, que aliás também virei fã, mas é assunto para um outro post. É o tipo de série que sempre será atual, independente da época que estamos. Embora mereça ter um espaço na tv, assim como Friends, tem-se como projeto um remake, mas nos anos 80 agora. Será?

“Fiquei ali sentado naquela lanchonmete por horas, com o único e verdadeiro herói que conheci, meu pai…”

Obviamente não me lembro de tudo oque passava naquela época, mas encontrei a frase do último episódio que foi ao ar com o nome de "4 de Julho" (Independência dos EUA).


“Crescer acontece num bater de coração. Um dia você está de fraldas, no outro já se foi. Mas as memórias da infância ficam com você. Por um longo tempo. Eu me lembro de um lugar… uma cidade… uma casa. Como muitas outras casas… Um jardim como muitos outros jardins… Uma rua como muitas outras ruas. O negócio é o seguinte… Depois de todos esses anos, Eu continuo olhando para trás… maravilhado! Foram Anos Incríveis!!!”



Um comentário:

Andy Lima disse...

Realmente era uma época maravilhosa, onde usavam-se mais a criatividade ao invés de enxer de efeitos especiais... amava Anos incríveis! Saudades!
o Capitulo que mais me marcou foi quando montaram a banda na escola! e no final o Kevin foi praticamente expulso por que não conseguiu cantar!